Boletim do 4º dia

A semana começou tensa para os universitários. Dia de mais workshops e de um jogo desafiador: a Torre de Marshmallow. Como se não bastasse, na segunda à noite foram anunciadas as 10 equipes finalistas, que terão a oportunidade de apresentar suas propostas de negócio a uma banca de especialistas.

FINALISTAS:

40.75 – Bahia
40.33 – Paraíba
39.08 – Distrito Federal
39.00 – Sergipe
38.83 – Amazonas
38.50 – Piauí
38.17 – Alagoas
37.67 – Amapá
37.50 – Roraima
37.50 – Santa Catarina

Acompanhe AO VIVO a reta final da competição nesta terça (02/12), com apresentação de Cazé Pecini e comentários de Yuri Gitahy:

PITCHING – 9h às 13h.

PREMIAÇÃO – 19h às 20h30.

Final do Desafio: boletim do segundo dia

No segundo dia de evento, foco no discurso. Como construir um pitch de alto impacto? Como planejar de maneira clara a sua proposta de negócio?

Depois de afinarem seus projetos, os desafiantes participaram de um jogo baseado em realidade aumentada. Muita e emoção e corre-corre! Tudo acompanhado de perto pelo nosso intrépido repórter Cazé Pecini.

Vida de startup

Ambiente instável, mudanças repentinas, capacidade de adaptação. Assim é a vida de startup.

Ambiente instável, mudanças repentinas, capacidade de adaptação. Assim é a vida de startup.

O desafio agora é fazer acontecer e preparar o lançamento de um novo produto – e ao mesmo tempo administrar a equipe que ainda o está desenvolvendo.

Mas afinal, o que deseja uma startup? Criar um novo produto, algo que não existe ainda mas que hoje é viável, graças à tecnologia.

Quem conseguir criar um produto ou serviço que atenda necessidades do mercado ainda não atendidas dará um grande passo.

É este o cenário. Sua missão é preparar o lançamento de um produto importante e fazer com que seja entregue a tempo, com inovação e qualidade.

O jogo Vida de Startup, que faz parte do Desafio Universitário Empreendedor, simula exatamente esta situação.

Mas onde está o produto?

Só que o produto ainda não está pronto e a entrega está na sua gestão!

O que você tem a fazer: atingir as três metas de desenvolvimento do produto, culminando no lançamento em mercado nacional.

Estas são as três metas:

  • o mínimo produto viável,
  • o lançamento do produto em mercado regional e
  • o lançamento em mercado nacional.

O sucesso da empresa e de seus produtos está associado à inovação das propostas, ao alcance da marca e à qualidade percebida. No jogo você vai ser levado a encontrar a combinação de atributos que melhor atendem à demanda do mercado.

O lançamento de novos produtos é um tema vivido por muitos jovens empreendedores e o jogo vai ajudar o participante do Desafio a entender melhor o ambiente instável da vida de startup.

Quer saber mais sobre startups? Veja aqui a diferença entre a startup e uma empresa normal.

Minha primeira startup!

logo_minha_primeira_startupAgora é hora de incorporar o Mark Zuckerberger. Você não vai criar o Facebook, mas vai se inspirar nele para o game Minha Primeira Startup, parte do Desafio Universitário Empreendedor.

Você terá um negócio baseado em internet e vai criar uma rede social diferente para fomentar o seu empreendimento, entendeu? Ou seja, quanto mais usuários a rede social tiver, mais negócios ela vai gerar.

E o sucesso da empresa impacta diretamente no desenvolvimento da região, o que estimula ainda o crescimento da própria empresa.

O objetivo é atingir 1 milhão de usuários na rede social StartApp.

Você vai atuar nas decisões para o crescimento de sua rede social, a StartApp. E sua estratégia sempre vai sempre se apoiar em boas decisões na área de gestão de pessoas, marketing, finanças e planejamento, por exemplo.

Não é fácil, pois no ambiente online as mudanças são muito rápidas e é preciso avaliar sempre novos cenários. Você sabe como é.

O objetivo do jogo, ao fazer uma analogia com o sucesso conseguido pelo Facebook no mundo real, é dar ao jogador um ambiente de simulação, onde ele vai perceber como a estratégia de atuação que escolher vai impactar o desenvolvimento de sua empresa e de outras instituições associadas a ela.

Aproveite e leia mais sobre startups no Portal do Sebrae.

Qual a diferença entre a startup e uma empresa normal?

O que é uma startup? Toda empresa jovem é uma startup?

É fácil entender a diferença – startup é uma empresa que procura oferecer alguma solução, serviço ou facilidade até então inédita, que se tornou possível graças à internet.

Vamos usar o exemplo de duas empresas muito conhecidas que iniciaram há relativamente poucos anos.

Os fundadores do Google perceberam que os mecanismos de busca na internet de antigamente eram fracos e operados por seres humanos que jamais conseguiriam indexar todos os sites que surgiam.

Ao entender a necessidade, desenvolveram o buscador Google depois de perceber que conheciam o suficiente para criar um algoritmo que fosse aprendendo cada vez mais. Deu certo e hoje quase metade do orçamento que se investe em publicidade na internet no Brasil vai para o Google.

E o Facebook? Começou como uma rede social para estudantes, como outras que já apareciam também. Mas soube dar um jeito de inovar, competir e crescer. Ao conquistarem enorme audiência, Facebook e Google lucram com a venda de anúncios.

Repetível e escalável

Voltando à uma escala menor, pois nem todos os exemplos precisam ser grandiosos, uma startup é um grupo de pessoas à procura de um modelo de negócios repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza.

Repetível quer dizer que pode entregar o mesmo produto em escala potencialmente ilimitada. Como um livro, um filme, um software ou outro produto em formato digital.

E escalável é o ponto mais importante: a startup pode crescer sem precisar mudar seu modelo de negócios. Crescer em receita, mas com custos crescendo bem mais lentamente.

Naturalmente a gestão de uma startup também é diferente, com ferramentas próprias, visão e métodos que funcionem nesse ambiente de incerteza até que o modelo seja encontrado.

Requer investidores

Investimento para startups é importante, pois sem capital de risco é muito difícil persistir na busca pelo modelo de negócios enquanto não existe receita. E após a comprovação de que ele existe e a receita começar a crescer, provavelmente será necessária uma nova leva de investimento para essa startup se tornar uma empresa sustentável.

Quando se torna escalável, a startup deixa de existir e dá lugar a uma empresa altamente lucrativa. Caso contrário, ela precisa se reinventar – ou enfrenta a ameaça de morrer prematuramente.

Este é o desafio do game Minha primeira startup, game que faz parte do Desafio Universitário Empreendedor

Interessante, não? Aprofunde sua leitura no site do Sebrae: O que é uma startup?

startup